Amor desanimado

Não fiz poema que prestasse...
O tempo, este apressado
Encurtou as linhas de meu livro
E alargou as rugas de minha face

Tentei em vão, achar-me um poeta
Um exegeta das coisas duras
Foi o que fui, não vi beleza
Na literatura das coisas incertas

Nenhuma palavra, nenhum fascínio
Não pude erguer meu exílio
Abstrato sobre a vida concreta

Não fiz poema que prestasse
Hoje, não me leia, não queira
O fruto de minha insensibilidade.


Cristiano Siqueira

(Foto de Christophe Agou)

5 comentários:

Rosana Paiva disse...

Há um tempinho não passava por aqui... inspirado e inspirador como sempre! Que venham muitos mais! :)

Sua namorada, noiva, esposa... disse...

Oi amor da minha vida, único em meu coração, motivo dos meus suspiros, culpado por minhas insônias... Lindo amor, lindoooooo... (Sniff..)

Tua namorada!!! disse...

Vc é meu joanim, eu tua flor de núvem! Vc meu professor, eu tua aluna apaixonada! Vc meu poeta, eu como vc diz; tua musa!Vc meu anjo, eu tua fadinha! Vc meu grande amor, eu... ahhhhh eu, eu sou aquela que morreria por vc, pois sem vc, O meu tudo, eu não seria nada!

Fico aqui pra ler mais uns pouquinhos dos teus lindos poemas!! te amo!

Eline disse...

Essas fotos dos 3 últimos poemas estão demais...
chegam a doer o coração de tanto amor desesperado!
Esse poema é irmão do meu "último poema". não são fraternos?

somebody disse...

酒店經紀人,

菲梵酒店經紀,

酒店經紀,

禮服酒店上班,

酒店小姐,

便服酒店經紀,

酒店打工,

酒店寒假打工,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工經紀,

制服酒店經紀,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工,

制服酒店經紀,