Amor mundano

Se Deus era ou não era
Uma espécie de dono
Criador do todo
Desde a face da terra?

Quanto mais me perguntava
Mais um abismo se abria
Entre o que ela queria
E onde eu estava.

Mas de súbito,
Como descesse do púlpito,
Na língua da vida me falou:

Já me prostituí por amor...



Cristiano Siqueira

(Foto de Henri Cartier-Bresson) 

3 comentários:

mEck disse...

Caro cristiano.
Agradeço tua visita e venho aqui não como resposta a sua mensagem, mas sim dizer o quanto me identifiquei com seus escritos.
A tua forma de escrita,
seus temas,
suas ideias,
tudo se encaixa e muito com o que vivo e penso.
Meu caro, parabéns!
Gostaria até de manter contanto com você se possivel.
Fiquei interessado no teu livro também!

Se você permitir, farei um link do teu blog lá no meu!

Enfim, espero você lá mais vezes também. E com certeza voltarei aqui sempre.

Abraços

Lady Salieri disse...

Noh! Agora gosto mais ainda de Goiania! =D

Lírio Azul disse...

E o corpo e a alma foram moedas de troca.