Amor além dos poemas de amor
(XI – Postagens)

Sei que já não posso
Deixar-te os meus recados.
Todo o meu silêncio,

       No branco dos parágrafos.

O futuro da saudade é fruto do passado.
Sobejo de tuas fotos nos meus olhos cerrados...

As promessas do céu
São manhãs de teu banho
Que nunca ao meu banho,
Conheceu.

A palavra aprisionada nas cartas não escritas...
Livrai-me do mal das postagens proibidas!

O que não nos dissemos abrirá meu testamento.

Ah! Meu amor por quê?
Porque me calaste pra dizer de teus segredos?



Cristiano Siqueira


(Foto de Henri-Cartier-Bresson)

4 comentários:

Eduardo santos disse...

Lido, relido...e outra ...e outra vez...assim o farei até esquecer...
e uma saudade louca me fazer voltar e ler,reler...e outra...e outra vez...

...vontade de melhor ser... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Professor Doidao disse...

Adorei o poema é incontestavel seu modo de trancrever sentimentos tão intangiveis

Eline disse...

Esse é um poema que grita!
E cala na alma.
Repetidamente...