Amor pornô

(Poema pra ser lido em cadência de sexo!)

fúria de línguas!
doçura do tempo
pára na libido
que paira...

hálito no outro
voz no gemido,
arroubos!

brilha nossa pele
suor saliva sede!

corpo e corpo
abrigo e perigo
no outro

carinhos brutais
e mais e mais
e mais...

perdidas as mãos
espaços e rasgos!

dedos molhados
unhas e rastros

calor e quarto
instintos pelados
mamilos e dentes

a maçã
a serpente!


pouco a pouco
e rapidamente
entre coxa e segredo
de repente,
um desespero:

Vem, vai, vem!
Meu bem, é isso!?
Ganho meus sentidos
Quando gozo contigo!


Cristiano Siqueira
(Foto de Adrian Fisk)