Amor e âmago

Teu busto refletido
Custo não olhar.
Te aprecio indireto
E sem raciocínio
Não há maldade no que sinto.

Se me expõe mais o decote
Receio mal me entender
Os motivos

Não se trata só de impulso
Incertos desejos
Língua e seios

Estar antes de tudo
Distraído apreciando,
Minha fome
De teu âmago.

Cristiano Siqueira




(Foto de Robb Debenport)