amor indiferente

quanta bobagem
às margens de ti
falei...

quanta ventura
apartado de ti
desperdicei...

houve o passeio
do desfecho:
nem distância
nem beijo...

chegamos ao nada,
não sou teu amigo
não és minha amada...

o tempo passa
e a dúvida má
nos descontenta...

por que será
que o destino
fez de nós
indiferença?


Cristiano Siqueira
(Foto de Melanie Einzig)