amor coincidente

não esperamos pela mesma esquina
onde um desatino nos fez esbarrar

não decidimos o segundo de enviar
um ao outro o mesmo recado de celular

não ensaiamos quando eu sorria
com os teus lábios nas fotografias

não combinamos de regar juntos
a mais distante flor do outono

não acordamos o que seria sonho
nem o cimo de teu sono dentro do meu

não falamos do cetro do destino
a desenhar na areia o risco por onde vamos

não vimos quando o calor de teu dorso
percorreu os veios do m de minhas mãos

não temos nada a ver com tudo isso
apenas foi preciso um amor com mistérios
pra nos conspirar a favor.


Cristiano Siqueira


(Foto de Jeffrey Ladd)