Amor de infância

Quando criança
De amores vivia.

Sem deixar saber
A amada
Eu a namorava!

- Gosto de cabelos molhados...
E eu cedo molhava os cabelos
Ao gosto de seu agrado.

- Você bem não é tão feio...
E logo eu corria
Para o ego dos espelhos.

Cantava no imaginário
Como fosse famoso e só dela.
Só ela minha platéia!

Jogava de corpo,
Mudava o andado,
Falava mais grosso
Pra manter o namoro.

E se acaso ela viesse
Pelo mesmo viés
Que eu vinha,
Era desespero!

O que fazer depois do beijo?

Cristiano Siqueira

(Foto de Robert Capa)